Colunistas

24/02/2015
Rute, a bisavó do rei Davi
Dando sequência, nosso último artigo sobre as mulheres que se destacaram na Bíblia por sua fé, conheça a história de Rute: a bisavó do rei Davi, mulher pagã que se converteu e tornou-se um antepassado de Cristo.
Neusa Antunes

A história de Rute se passa na época dos juízes, por volta de 1.100 anos a.C (antes de Cristo). Ela era de Moabe, uma nação pagã, fruto do relacionamento incestuoso de Ló com a sua filha mais velha. Os moabitas eram inimigos do povo de Israel e Rute era considerada uma pessoa amaldiçoada.

Mas Deus tinha um plano para a vida de Rute. Ela foi pedida em casamento por Malom, um dos filhos de Elimeleque e Noemi, que haviam saído de Belém para a terra de Moabe. A nova família de Rute ficou na terra moabita por 10 anos, até que, Elimeleque, sogro de Rute, e seus dois filhos morreram, deixando três mulheres viúvas e desamparadas.

A sogra de Rute, Noemi, já era uma mulher de idade e disse às suas noras que voltassem às suas respectivas famílias. Naquela época, as viúvas jovens podiam voltar à casa dos pais.

Sozinha, ela fez uma decisão: não voltar para os seus familiares mas ficar com a sua sogra a quem ela muito amava. Ela iria para uma terra distante cujo povo tinha como Deus, Àquele que, verdadeiramente, havia criado o céu e a terra. Rute era jovem, tinha um bom coração e era forte e decidida.

Noemi, sua sogra, ficou feliz por tê-la como amiga e companheira, pois ela sabia que elas iriam enfrentar uma vida nova e desconhecida. Ela não estaria só. Juntas partiriam para Belém de Judá.

Rute acompanhou Noemi de volta a Belém, porém, sua vida no início não foi nada fácil. A moabita não era vista com bons olhos pelas ruas da cidade. Ela era uma mulher delicada, sozinha em uma terra estrangeira, que tinha que ir ao campo, executar trabalho de homem para conseguir o que comer.

E foi no campo que um homem chamado Boaz a viu e deu ordem aos seus segadores que deixassem espigas espalhadas para que Rute, aquela menina sem forças, pudesse, ao final do dia, ter o que recolher e levar para a sua sogra.

Lembro-me de quando viajava de carro pelos Estados Unidos, onde meu marido estava indo fazer o seu aperfeiçoamento em cirurgia oncológica, e passávamos pelos campos de trigo. É, realmente, de uma beleza sem igual. Os campos ficam dourados e é quando imaginamos que está beleza não é nada diante do que Deus tem preparado para nós, seus filhos. A Bíblia nos diz em 1 Coríntios 2:9 que... “... As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.”

Rute não sabia naquele momento, mas Deus estava mudando a sua história.

A Bíblia nos diz que Rute foi ao campo de Boaz para apanhar espigas para o sustento dela e de sua sogra. Ela, ao tomar esta decisão, certamente, repousou no Senhor, sabendo que o Deus que, agora, fazia parte de sua vida, estava dirigindo cada passo seu. A confiança que ela depositava no Senhor, tornava-a forte e sábia para executar os planos dEle em sua vida. E o que Deus queria em sua vida estava acontecendo... * Todos em Belém ficaram sabendo da lealdade dela para com Noemi. * Todos souberam da tragédia que caiu sobre as duas – morte de seus maridos.

* Todos souberam, inclusive Boaz, de sua renúncia aos seus deuses moabitas e sua entrega total ao Deus de Israel.

Com a ajuda de Noemi, Deus preparou um marido para Rute: Boaz. Um marido que não lhe protegeu apenas da fome, mas que lhe deu carinho, amor e descendentes. A história de Rute mostra a providência de Deus em meio às adversidades e tristezas. Deus usa pessoas simples e acontecimentos corriqueiros para alcançar os seus propósitos. Basta que tenhamos fé para enxergar nas infelicidades os milagres que poderão acontecer.

A mulher moabita esqueceu o seu passado, foi adotada por Deus, que a abençoou com um marido, deu-lhe a alegria de ser mãe de Obede, bisavó de Davi, e de fazer parte da genealogia de Cristo.

Neusa Venturini Antunes é presidente da Libra - Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil Barueri / Santana de Parnaíba, advogada e pedagoga. É casada com o cirugião oncológico Dr. Ricardo Antunes, que a motivou a atuar voluntariamente na prevenção do câncer. Fundou a Lost Abrigo para Animais Abandonados e é colaboradora dos Anjos dos Bichos. Acesse também: anjosdosbichos.com.br/

Libra
com Neusa Antunes
Comentários