Colunistas

01/03/2014
Perigos dos Salões de Beleza
Dr. Roberto Figueiredo

Qual mulher não frequenta habitualmente um salão de beleza? Nesses locais, belezas são valorizadas ou mesmo descobertas. No entanto, com esta finalidade, muito do seu tempo é gasto nessas visitas, mas, os resultados, na maioria das vezes, compensa. No entanto, cuidados devem ser observados para não se correr o risco de não trazer apenas beleza destes locais, mas também algum microrganismo que, dependendo do tipo, poderá ocasionar doenças como micoses, infecções purulentas e até Hepatite C e Aids.

A Hepatite C é uma doença cujo agente infeccioso é um vírus; o vírus da hepatite C (VHC) afeta sobretudo o fígado. Na maioria das vezes, é assintomática, podendo chegar, em casos crônicos,à fibrose do fígado e à cirrose, manifestando-se após alguns anos. Cerca de um terço dos casos de Hepatite C no Brasil está relacionado com salões de beleza e tatuagens.

O vírus da hepatite C pode permanecer vivo por até 3 dias nos equipamentos de manicure e podólogo.O vírus da Aids, no entanto, praticamente não sobrevive fora do organismo, o que diminui muito a possibilidade de infecção pelo vírus da Aids, mas aumenta a possibilidade para o vírus da Hepatite C, caso ocorram falhas nos processos de higienização destes utensílios.

Os salões de beleza são divididos em vários departamentos. Os cuidados a sertomados estão relacionados com cada um deles:

a) manicure, pedicure, podólogo (alicates, lixas, espátulas de madeira etc).

Bom, este é o ponto nevrálgico do salão, como já mencionei, cerca de 1/3 dos casos de hepatite C se origina de salões de beleza e clínicas de tatuagem. Cuidados:

1. Para amolecer as cutículas, prefira usar algodão umedecido ou, então, na opção de pequenas bacias, verifique se elas estão forradas com um plástico descartável. (A propósito, não se devem remover as cutículas, e sim empurrá-las).

2. Utensílios de metal (alicates, pinças, tesouras e outros objetos de metal) devem permanecer em estufa a 160° C por 2 horas ou a 170ºC por 1 hora.

3. Tratando-se de material de madeira, deveser descartável.

4. O ideal é que cada cliente tenha o seu próprio kit.  

- Esses profissionais devem usar luvas e lavar as mãos após cada atendimento? 

O ideal seria a lavagem das mãos com sabonete líquido com ação contra microrganismos. Um produto que tenha como constituinte o Triclosan é o suficiente.

- Como evitar inflamações, caso a manicure tire “um bife”? Geralmente elas têm um pozinho que estanca o sangue e é antibactericida.

- Como deve ser feita a aplicação do pozinho, sem que ele sofra contágio do sangue da cliente? 

Sendo pozinho, não existe muito problema (não deve ser reaproveitado), o que não é indicado é o lápis ou bastão, pois nele ocorrem contatos entre feridas de clientes.  

b) cabelos (escovas, pentes, químicas)

A caspa pode ser causada por fungos, o Pityrosporum ovale, este pode ser transferido de uma cabeça para outra por pentes e escovas não lavadas. Primeiramente, retirar os fios de cabelo presos e depois lavar com água e sabão, enxaguando abundantemente. É o bastante.

Outras micoses podem também ser transmitidas por pentes e escovas não higienizados;

c) depilação (cera, pinça, lençóis etc.).

O risco aqui é o uso de cera reaproveitada. O ideal seria a pessoa que foi depilada pedir a cera usada e ela mesma jogar fora. Cera reutilizada pode transmitir várias infecções de pele, incluindo micoses;

d) esmaltes, xampus, químicos para os cabelos, maquiagem e outros cosméticos.

Esmaltes podem transmitir pedaços de pele de um cliente para outro levando a infecções (unheiros) e micoses.

O cliente deve conhecer os produtos químicos que vão ser utilizados; na dúvida, um dermatologista deve ser consultado.  

Recomendo que, ao entrar em um salão de beleza, estética ou tatuagem, verifique as condições gerais de limpeza, as condições dos equipamentos (pergunte como fazem o processo de esterilização), veja as condições dos pentes e escovas e pergunte sobre os produtos químicos usados.No mínimo, deve ter um alvará de funcionamento da Vigilância Sanitária.

E lembre-se, o seu salão de beleza, estética ou tatuagem tem que lhe trazer prazer e não doenças.

O biomédico, especializado em bacteriologia, Dr. Roberto Figueiredo, a cada mês, trata de um tema relacionado aos perigos microscópicos que se escondem no nosso cotidiano. Acesse também: Dr. Bactéria no Instagram - drbacteriaoficial

Dr. Bactéria
com Dr. Roberto Figueiredo
Comentários