Colunistas

07/07/2017 22:16 - Atualizado em 07/07/2017 22:16
Objetos de casa: como saber o momento de trocar?
Dr. Roberto Figueiredo

Você nunca vai conseguir uma casa estéril (livre totalmente de germes), mas deve mantê-la higiênica, livre de germes que podem implicar em infecções, doenças ou contaminação de alimentos. Saiba a vida útil de cada objeto e respeite este prazo. Mantenha estes objetos protegidos. Por exemplo, travesseiros dentro de protetores. Para os pisos e azulejos, use água mais detergente, enxague e depois passe pano com água sanitária.

Alguns objetos costumam ter alterações com o seu prazo vencido, como a escova de dente, que muda sua forma perdendo a adequada função de limpeza dos dentes. Já o travesseiro abriga grande quantidade de ácaros vivos e mortos, além de suas fezes que vão implicar em problemas alérgicos como rinite e asma.

Tudo tem prazo de validade. As escovas de dente de adultos devem ser trocadas a cada dois a três meses e as de crianças a cada mês, pois elas mordem. Após alguma doença, sobretudo digestiva ou respiratória, trocar as escovas. Os travesseiros, a cada dois anos. Um travesseiro de dois anos, 1/3 de seu peso é formado por ácaros vivos, ácaros mortos e fezes de ácaros.

Mesmo bem conservados, os materiais devem ser trocados com certeza, pois há bactérias, vírus, fungos e ácaros. Você não pode não ver, mas eles estão presentes.

Validade de alguns objetos de uso em casas: 

Travesseiro - trocas a cada dois anos. Manter envolvido por sacos protetores de algodão por fora e impermeável na parte interna.

Colchão - manter também envolvido por sacos protetores de algodão por fora e impermeável por dentro. O de espuma, trocar a cada três anos; o de molas, a cada sete a dez anos.

Escova de dente - adultos = dois a três meses, crianças = um mês. Após uma doença das partes respiratórias (gripe, resfriado, pneumonia, etc) ou digestiva (aftas, sapinhos, gastrite, infecção de garganta, etc). Após cada escovação, aspergir com solução de gluconato de clorexidina a 0,12%. Manter em copos, com as cerdas para cima.

Esponja de banho - preferencialmente não usar, mas se optar, trocar a cada mês, uma por pessoa. Manter seco.

Paninho de pia - trocar sempre que estiver molhado. Sua durabilidade depende da qualidade, trocar sempre que começar a soltar fiapos.

Esponja de lavar louça - dê preferência por um que tenha adicionado íons de prata por se auto desinfetar. Duração de uma semana.

Pano de chão - lavar e desinfetar após cada uso. Começando a soltar fiapos, trocar.

Escova de cabelo - a escova deve ser lavada. A sugestão é que a cabeça do objeto seja mergulhada em água morna com shampoo por 15 minutos. Depois, precisa ser colocada em água corrente fria ou morna. Não é recomendado utilizar detergente, vinagre ou álcool para limpar sua escova. Depois de limpa, é preciso esperar secar bem antes de guardá-la. A durabilidade vai depender muito do tipo, fabricante e forma de uso e manutenção.

Tábua de cortar carne - não usar de madeira. As de plástico devem ser lavadas após o uso e desinfetadas com vinagre puro ou solução de duas colheres de sopa de água sanitária por litro de água. Pode ser limpa com bicarbonato de sódio ou limão. Trocar assim que apresentar muitos riscos e modificação da coloração, que não retorna a cor natural mesmo após lavagens adequadas. As de vidro devem ser trocadas assim que trincadas ou quebradas.

Roupas íntimas - claro que depende muito da forma de uso, manutenção, lavagem, cuidados, temperatura, frequência de uso, mas uma boa peça íntima costuma durar um ano.

O biomédico, especializado em bacteriologia, Dr. Roberto Figueiredo, a cada mês, trata de um tema relacionado aos perigos microscópicos que se escondem no nosso cotidiano. Acesse também: Dr. Bactéria no Instagram - drbacteriaoficial

Dr. Bactéria
com Dr. Roberto Figueiredo
Comentários