Colunistas

07/07/2017 21:49 - Atualizado em 07/07/2017 21:49
Seja como o ipê: floresça no inverno
Marlene Lamarco

Os ipês florescem na minha cidade e tingem de rosa o horizonte, espalhando tapetes coloridos pelo chão das calçadas. É o ciclo da vida que se repete... É o ciclo dos ipês que se antecipa em junho sem explicar por quê.

O ipê despiu-se das folhas. Teria ele sofrido o apego de perder cada uma ou seria ele sábio e crente, confiante na beleza da florada que estaria por vir? Mesmo quando não se antecipam, por questões que desconhecemos, os ipês florescem em pleno inverno e acabam reinando soberanos, na paisagem que adormece a espera da primavera. Qual seria o seu segredo?

A natureza adormece no inverno e sua paisagem bucólica, às vezes, inspira a poesia e traz consigo certa melancolia. Foi com esse estado de espírito que eu dirigia numa estrada, buscando inspiração para resolver uma questão importante e delicada. Garoava, além de ser muito cedo, frio e meio escuro, porque até o sol estava recluso.

Foi quando me deparei com os ipês numa certa avenida de São Paulo e meu coração despertou para uma alegria instantânea. Num dia cinza de inverno, o ipê ousou brincar de primavera e coloriu tudo de rosa, a cor do amor incondicional.

E eu fiquei ainda mais alegre, porque se ele pode, eu também posso. Por que não encontrar beleza também nas situações de revés? Por que não colorir os pensamentos branco e preto, para, assim, suavizá-los?

Aprendi com o ipê e desapeguei-me daquele sentimento de dúvida que permeava meus pensamentos e consegui clareá-los com muito mais positividade e esperança.

A analogia serviu-me de apoio para olhar aquela situação cinza com os olhos do poder que habita dentro de cada um de nós, quando estamos abertos e conectados às mensagens da natureza. Cada gota de orvalho tem um recado, a florada temporã na paisagem árida e a chuva que cai lavando a terra, sempre deixa uma mensagem de contínua fidelidade. É uma fidelidade amiga, que vem lá de cima, sem que peçamos ou que estejamos atentos. É certo que vem...

Na impermanência da vida, Deus sempre encontra uma forma de falar conosco e renovar nossas emoções mais profundas. É só olhar para o mundo, com os olhos do coração.

O presente chega na hora mais inesperada, de surpresa, como as flores invernais dos ipês rosa da minha cidade.

Marlene Damico Lamarco é Pedagoga e Fundadora da Oficina Holística Arco Íris, uma Ong que se dedicou por 16 anos  ao equilíbrio e desenvolvimento humano, através dos inúmeros caminhos do autoconhecimento. Também atuou durante 25 anos como executiva na área de marketing do varejo. Dedica-se há mais de 25 anos ao estudo e prática de ciências esotéricas, meditação, psicologia e xamanismo.

Ponto de Equilíbrio
com Marlene Lamarco
Comentários