Colunistas

06/04/2017 20:51 - Atualizado em 06/04/2017 20:51
Leve você para oficina: tem conserto!
Aline Fraticelli Marlene Lamarco

Existe conserto de carro, conserto de computador, conserto de gente. Posso lhe garantir que conserto de gente dá concerto. Você começa a ouvir uma nova música, aliás, você começa a dançar a sua própria dança num ritmo e encantamentos próprios, nunca antes conhecidos.

Você sabia que há pesquisas americanas que apontam serem os grupos terapêuticos livres e espontâneos aqueles que mais dão resultados positivos? Como os alcoólicos anônimos, por exemplo. Sabe por quê? Os depoimentos pessoais têm uma força especial porque são verdadeiros e porque são retratos vivos do poder humano de se recuperar. Além disso, atrás desses encontros existe uma rede de energia permeando tudo, uma rede que atrai semelhantes e experiências que vibram na mesma sintonia. “Nada é por ocaso”, diria o esoterismo; “lei da atração”, diria a física quântica; “quando mais de um se reúne em Meu nome”, diria o Grande Mestre.

Vivi experiências incríveis participando de um grupo de autoconhecimento por ocasião de um estresse motivado por excesso de trabalho. A medicina tradicional não resolveu o problema com remédios, porque não havia só um problema, havia uma série de desequilíbrios em todo organismo.

O autoconhecimento é a ferramenta mais assertiva para essa questão, porque o que nos causa o estresse é a nossa visão de mundo. Tudo começa aí, trabalhamos em excesso porque não respeitamos nossos limites, ficamos angustiados porque colocamos nossos sonhos nas mãos dos outros, sentimos medo de não chegar lá, porque as expectativas exacerbadas nos roubam a energia. E assim vai, como não nos conhecemos, gastamos combustível inútil, preocupados com o futuro e não vivenciamos o presente, nossa única garantia de felicidade.

É incrível, quanto mais nos voltamos para dentro de nós, mais as experiências que acontecem do lado de fora vão se resolvendo naturalmente. Nossa maneira de olhar se modifica, pois conseguimos sair dos antigos clichês para exercer a liberdade de escolher o sentimento que vamos alimentar. Aprendemos que as coisas têm o significado que damos a elas, assim, uma mesma situação pode ser vista de inúmeras maneiras, algumas positivas, outras negativas. Depende de como olhamos...

A grande escritora e terapeuta Louise Hay afirma que "o importante não é o que acontece em sua vida, mas como você olha para o que acontece em sua vida". A mesma situação que pode destruir uma pessoa pode servir de alavanca para novas conquistas. Depende de como a pessoa interpreta o acontecimento.

Embora o desenvolvimento interior seja solitário, a reunião em grupos cria uma rede de comunicação solidária que apoia e, ao mesmo tempo, mostra caminhos de superação. A verdade é que nesses encontros tudo se encaixa, as pessoas com suas experiências conseguem impactar a vida de outras pessoas e milagres acontecem.

Quando estamos atravessando situações difíceis, esses encontros podem trazer novas opções, além de possibilitar o aprendizado de encontrar novos significados para velhas sensações. Podemos escolher os sentimentos que vamos alimentar e o que é mais importante, o que vamos permitir que tenha poder sobre nós.

Se a sua visão de mundo está causando estresse e desesperança... isso tem conserto! Leve você para oficina! O Universo agradece, pois a paz do planeta começa dentro de cada um de nós!

Marlene Damico Lamarco é Pedagoga e Fundadora da Oficina Holística Arco Íris, uma Ong que se dedicou por 16 anos  ao equilíbrio e desenvolvimento humano, através dos inúmeros caminhos do autoconhecimento. Também atuou durante 25 anos como executiva na área de marketing do varejo. Dedica-se há mais de 25 anos ao estudo e prática de ciências esotéricas, meditação, psicologia e xamanismo.

Ponto de Equilíbrio
com Marlene Lamarco
Comentários