Colunistas

03/02/2017 22:22 - Atualizado em 03/02/2017 22:22
O agora
Luciano Pires

Se pudéssemos transformar nossas vidas numa linha que começa no nascimento e termina na morte, daria para dividir em três partes. A principal seria um ponto em algum lugar da linha, que representa o agora, o presente. A parte que estivesse para trás desse ponto, em direção ao momento do nosso nascimento, é o passado. A parte que vai do ponto presente até o momento de nossa morte é o futuro. E é nessa linha que nossa mente navega, hora aqui, hora nas lembranças do passado, hora nos sonhos do futuro.

Agora pense o seguinte: o passado já foi, só serve como lembrança, como ferramenta para nos educar sobre o que deu certo e o que não deu. Não podemos fazer nada para mudá-lo. E o futuro é simplesmente uma consequência do que você já é. Do agora. No futuro você viverá no corpo que está construindo agora. Tomará decisões com base no repertório que está reunindo agora.

Portanto, o momento mais importante de sua vida é o agora.

Fiz contato com um pessoal que se denomina Casa do Presente, um grupo de profissionais preocupado exatamente com o conceito de “formar jovens para o futuro”.  Essa turma se juntou para criar um movimento de conscientização para que os jovens descubram oportunidades que provavelmente lhes serão ocultadas pelo sistema educacional e profissional. O tal que “forma para o futuro”. Não! Os jovens precisam se formar para o agora!

O texto de apresentação deles diz: “O que você quer ser quando crescer? Essa é uma pergunta inocente, mas que esconde uma verdade inconveniente: estamos encaixotando o futuro das nossas crianças e adolescentes. Nem precisamos falar que o sistema de ensino para os nativos digitais é ultrapassado e que o mercado de trabalho é cruel. Mas precisamos sair da problematização e partir para uma solução rápida e definitiva. Como resolver isso?”.

O pessoal da Casa do Presente reuniu um time de especialistas nos mais diversos campos do conhecimento para compartilhar voluntariamente aprendizados com os jovens. Serão aulas práticas, imersivas e democráticas, um papo reto sobre os nossos superpoderes. O formato dos cursos é (e sempre será) beta. Assim como o mundo e os jovens, eles estão em constante transformação.

O projeto ainda está em gestação e eles pretendem reunir 40 estudantes de escolas públicas e privadas (entre 14 a 17 anos) para a realização do Hackathon de Educação da Casa do Presente, um dia de experiências, consultas e conversas para ouvir quem realmente será beneficiado.

“Hackathon” é a denominação que se dá para uma maratona que reúne programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software, cujo objetivo é desenvolver programas inovadores. O Hackaton da Casa do Presente desenvolverá não um software, mas um programa educacional inovador, envolvendo disciplinas como falar em público (com gente do TED), alimentação saudável, empreendedorismo, educação financeira, despertar da criatividade e até aulas de programação. Tudo organizado de uma forma que a escola tradicional não oferece.

A Casa do Presente é independente, apartidária e sem vínculos com qualquer entidade privada ou estatal. Conheço alguns dos envolvidos, é gente de vários segmentos e vários educadores querendo fazer acontecer, vale dar uma olhada!

Para mais informações, acesse www.casadopresente.com.br

Luciano Pires é formado em Comunicação. Sua experiência como jornalista e os 26 anos como executivo propiciaram-lhe uma visão privilegiada da dinâmica do mundo dos negócios. É autor, cartonista premiado e colunista de vários veículos, além de produtor e apresentador do programa Café Brasil na rádio Mundial FM e apresentador de comentários no Transnotícias, da rádio Transamérica. Acesse: www.lucianopires.com.br.

Café Brasil
com Luciano Pires
Comentários